Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


PROBLEMA-REAÇÃO-SOLUÇÃO (P-R-S)

Domingo, 26.06.11
Controle Mental em massa
Uma técnica de controle mental em massa que é usado por essas organizações de elite todo o tempo é o "problema-reação-solução". Um problema é secretamente criado (pela CIA, KGB, etc) e alguém é culpado pelo problema. O culpado pode ser uma guerra, uma desvalorização da moeda, dívida interna, ou um colapso governamental. Pode ser qualquer coisa. A mídia é usada para estimular a tal ponto a opinião pública em relação ao fabricado problema que o público grita "Algo precisa ser feito!" Nesse ponto, aqueles que criaram o problema, oferecem abertamente a solução como um meio de conseguir o que eles queriam desde o princípio.

O texto completo:

Mudando o Curso dos Eventos Mundiais
Uma entrevista com David Icke
por Joseph W.Duggan
(traduzido do site: http://www.davidicke.com/icke/articles/turntide.html)
Artigo retirado da edição 16 de Enigma


Fonte



David Icke foi um jogador profissional de futebol pela Cidade de Coventry e depois pela Hereford antes que a artrite reumática o forçasse a abandonar a carreira, entre muita publicidade, com 21 anos. Ele então seguiu para o jornalismo e depois para a televisão, tornando-se um âncora e repórter de notícias e jogos esportivos nacionais. Ele também se tornou o porta-voz nacional para o Partido Verde da Inglaterra e se envolveu profundamente em assuntos ambientais.
Uma Vida Transformada Pra Sempre!
Uma visita à uma médium e curandeira britânica em 1990 o colocou na jornada da descoberta que mudou dramaticamente a sua vida e o levou a escrever uma série de livros controversos inclusive Vibrações de Verdade, Não Tem que Ser Assim, Cure O Mundo e A Rebelião dos Robôs. O seu livro mais recente é E a Verdade o Libertará, e tem sido descrito como o livro mais explosivo do século XX. Ele revela o pano de fundo esotérico de uma conspiração mundial para centralizar o poder nas mãos de uma elite global. ele também oferece uma solução espiritual inspiradora na qual cada homem, mulher e criança podem se libertar da programação robótica e recuperar o seu poder de decidir o próprio destino.
Viajando o Mundo Expondo os Fatos
Icke está viajando ao redor do mundo explicando o perigo para o futuro de nosso planeta posto pelo presente sistema econômico mundial dominado e controlado por uma elite global e secreta. A linha de fundo desse "sistema" é o "crescimento econômico", que os economistas dizem que conduz a mais empregos, mais riqueza (para a elite), mais "sucesso" econômico, etc. Isto não poderia ser mais simples, mas na verdade é um sistema de tirar, fazer e jogar fora que aumenta a taxa e quantidade de recursos insubstituíveis que nós tiramos do planeta todos os anos. Esse sistema aumenta a velocidade com que esses produtos, os quais na maioria das vezes nós não precisamos, se tornam obsoletos ou tão fora de uso que as pessoas são forçadas a comprar os mesmos produtos de novo e de novo para sempre gerar maiores aumentos na produção. Isso, em troca, conduz ao aumento da quantidade de recursos naturais, agora chamados de lixo, que nós jogamos fora todos os anos.
Assassinos ambientais
Deve ter sido necessário um gênio para propor isso porque, como diz Icke, "esse sistema é o assassino ambiental e humano perfeito e, contudo, é o sistema que controla o mundo e as mentes das pessoas. Em resumo, para esse atual sistema sobreviver e aumentar a produção todos os anos, é indispensável que nós violentemos o planeta para conseguir mais e mais recursos e o envenenemos com cada vez mais poluição. Esse é o sistema apoiado por todos os principais movimentos políticos do mundo, com exceção dos Verdes. Essa é a "sabedoria" convencional que está destruindo a terra."
Entregando a Individualidade
"Também, em nosso atual sistema global, países individuais entregam o controle do seu próprio destino, a medida que outros países produzem produtos mais baratos utilizando trabalhadores com baixos-salários, e freqüentemente com novas, mas ambientalmente e socialmente destrutivas, tecnologias. O desemprego cresce nesses países que não podem competir, mas e para aqueles que têm empregos? Eles gastam a maior parte do seu tempo de trabalho em fábricas e escritórios produzindo quinquilharias para comprar mais quinquilharias que outras pessoas também estão desperdiçando a vida para fazer em outras fábricas e em outros escritórios."
O Rebanho Humano
"O que aconteceu às nossas vidas? A vasta maioria das pessoas, ricas e pobres, neste planeta estão escravizadas. Escravizadas pela programação robótica do sistema, sua prisão econômica, e pela sua própria recusa em pensar, questionar e achar a libertação que vem para aqueles com uma mente aberta. Nós não vivemos em uma sociedade livre, nós vivemos como robôs em uma sociedade na qual você é livre para fazer o que a sociedade quer que você faça - produzir e consumir - essa é a realidade."
Poucos Controlando a Massa
Icke tem sido capaz de levar a cabo uma análise detalhada que reune eventos mundiais passados e presentes que parecem acontecer independentemente uns dos outros, mas que na verdade têm as mesmas pessoas segurando as rédeas em todos eles. Está se tornando cada vez mais óbvio que pouquíssimas pessoas controlam o mundo persuadindo e pressionando a população através do medo para que ela pense e aja do modo que eles desejam, ou preferivelmente, não agir ou pensar independentemente. Atualmente, quatro corporações multinacionais controlam 90% da mídia global.
A Zona livre de desconforto
Ele explica: "O que acontece na prática é que se você olhar para todos os dogmas em todas as culturas, todas as sociedades têm o que eu chamo de "zona livre de desconforto". É aquela área dentro de qualquer cultura, dentro de cada dogma (religioso, econômico, político etc) em que se você se conforma a ela, você está na zona de conforto. Ninguém vai rir de você, o condenar por ser diferente, ou por expressar sua singularidade, porque você está fechado na mentalidade de rebanho, e você está se conformando ao que os outros dizem que você deveria ser e fazer. Quando você sai desse zona e expressa seu aspecto único em toda a existência e se recusa a ser amedrontado, ou controlado, você imediatamente é exposto ao ridículo ou à condenação como tem acontecido comigo na Inglaterra."
Entregando nossas Mentes
Nas suas conversas, Icke une idéias de conspiração com o espiritual. Ele explica primeiro como nós estamos entregando nossas mentes e os meios pelos quais nós somos condicionados para fazer isso. Ele revela um vasto número de nomes e organizações que são muito famosos, e das pessoas que estão na hierarquia controladora, inclusive o Presidente dos EUA. Ele diz, "eu não faço isso com condenação porque as pessoas envolvidas estão expressando o seu próprio estado de ser na ocasião, eles também estão refletindo de volta para nós a própria mente coletiva humana e os resultados de nossa própria falta de responsabilidade e integridade pessoal. Eu acho que é importante fazer isso primeiro."
"Oppo-Sames" (oppo = opostos, same = iguais)
"Eu também mostro como as mesmas pessoas em lados aparentemente opostos da política estão na verdade conectadas às mesmas organizações de elite. Estas organizações têm a mesma comprovada agenda de um governo mundial, um banco central mundial, um exército mundial, uma moeda mundial, e, dizem alguns, uma população micro-controlada. Esses aparentes opostos na política estão lá para nos fazer acreditar de que nós não estamos vivendo em uma prisão, que nós temos uma escolha. Contudo, estas pessoas não são opostas, mas sim parte de um Estado de um único partido. Os dois últimos Presidentes dos EUA estavam aparentemente em lados diferentes - Bill Clinton e George Bush - contudo ambos estavam fortemente envolvidos dentro das mesmas organizações de elite."
Mitos e Mídia
"A mídia e os políticos têm um confortável acordo não escrito que projeta um mito nas pessoas de que são os primeiro-ministros, presidentes, e políticos de alto-escalão que estão no topo da pirâmide de poder global. Eles caminham então ao redor do cenário mundial e agem como se eles fossem os árbitros finais do poder. A mídia vai junto com eles, o que significa que os escalões acima dos Clintons (que na verdade sustentam as rédeas do poder), nunca são investigados porque eles são invisíveis ao público. Esses são os indivíduos que decidem quem se torna o presidente porque eles possuem o dinheiro e a mídia. O Presidente é só o homem de frente mais famoso do mundo."
Introduza Amor e Compaixão
"É por isso também que movimentos por mudanças sociais, econômicas, e ambientais são ineficazes. Eles são incapazes de mudar o sistema porque eles são, na verdade, forçados a ser parte do sistema para sobreviver. Todos os seus recursos são gastados nos homens de frente enquanto o real poder age subversivamente atrás da cena para fazer o sistema como ele é agora. Também, por fundações não-lucrativas operadas pela elite, muitos movimentos são infiltrados por agentes que os transformam em veículos para promover o sistema. A maioria dos ativistas ataca os elementos do sistema que eles podem perceber com raiva, culpa, e freqüentemente violência. De uma perspectiva espiritual, só é possível transformar a consciência negativa do sistema com amor e compaixão. É por isso que é tão necessário neste momento mudar para um estado mais alto de consciência para resolvermos nossos problemas mundiais."
Controle Mental em massa
Uma técnica de controle mental em massa que é usado por essas organizações de elite todo o tempo é o "problema-reação-solução". Um problema é secretamente criado (pela CIA, KGB, etc) e alguém é culpado pelo problema. O culpado pode ser uma guerra, uma desvalorização da moeda, dívida interna, ou um colapso governamental. Pode ser qualquer coisa. A mídia é usada para estimular tanto a opinião pública em relação ao fabricado problema que o público grita, "Algo precisa ser feito!" Nesse ponto, aqueles que criaram o problema, oferecem abertamente a solução como um meio de conseguir o que eles queriam desde o princípio.
Bósnia e Ruanda
"Um exemplo disto", Icke explica, "é o cenário do exército mundial. A última coisa que o "problema-reação-solução" precisava na Bósnia era uma operação de pacificação da ONU eficaz. Se ela fosse eficaz, teria sido assim em Ruanda e na Somália, mas então não haveria nenhum problema para resolver. Assim, como resultado do fracasso da operação de pacificação da ONU, o problema continuou. Ela foi projetada para não funcionar e foi auxiliada pelos principais negociadores da paz na Bósnia que, casualmente, são todos membros das mesmas organizações de elite que têm como agenda a criação de um exército mundial."
Algo Precisa Ser feito!
"Quanto mais horrorosos ficavam os quadros que vinham da Bósnia, mais alto ficava o clamor público, "Algo precisa ser feito!" Isso era compreensível do ponto de vista do público, mas a solução passada pra frente foi a formação do que é efetivamente um exército mundial, uma força de 60,000 homens... a maior força multinacional desde a Segunda Guerra Mundial e exatamente o que os conspiradores queriam."
Espiritualidade versus conspiração
Icke opera em dois níveis diferentes, o aqui-e-agora, o nível de pesquisa conspiracional para avaliar o que de fato está acontecendo, e o espiritual, que demonstra que se você jogar sua mente fora, haverá conseqüências físicas. Ele diz, "Se nós recuperarmos nosso poder pessoal e espiritual, deixarmos de ser um rebanho de ovelhas e expressarmos nossa individualidade divina, então a habilidade de alguns para controlar nosso mundo desaparece. Uma vez que as pessoas perceberem que elas podem controlar as suas próprias vidas, que o seu próprio poder existe dentro delas mesmas e não fora... o jogo terminou para a elite global. Você não precisa de uma arma. Você não precisa de outro partido político. Você não precisa de outro quarto cheio de fumaça, grupo de protesto, ou reunião. Tudo que você precisa é celebrar sua singularidade, desligar-se da robótica mentalidade de rebanho, e respeitar o direito dos outros de fazer o mesmo. De repente nós removemos o veículo (energia) pelo qual uma conspiração global pode operar nossa mentalidade de rebanho."
Energias da Terra
Icke também tem trabalhado extensivamente com o que ele chama de "energias da terra", e tem viajado para o Peru, Canadá, África, e muito para a Europa, especialmente a Inglaterra, fazendo um trabalho curativo planetário. Ele explica, "Nós somos os guardas da Mãe Terra e temos acesso à consciência mais elevada. Nós podemos agir como facilitadores para curar e equilibrar muitas das perturbações na terra através de um sistema de cruzamentos conhecido como "ley lines" e lugares de poder. Esses lugares de poder agem como pontos de acupuntura na superfície da terra e as ley lines como meridianos, e são rompidos facilmente por atos de violência (guerra), poluição tóxica, construção, etc. Nós temos a habilidade para trabalhar com uma consciência mais elevada para curar e equilibrar a terra."

Quando perguntado onde ele conseguiu todas as suas informações, Icke explicou, "Muitas pessoas dentro do governo e de agências de inteligência como também dentro do exército descobriram há muito tempo o que está acontecendo, mas não sabiam o que fazer com a informação. Eles estão escolhendo me dar essas informações porque eles sabem que eu as espalharei pelo mundo. Eu continuo dizendo às pessoas que a pior coisa que pode me acontecer é que minha consciência se mova para outra realidade de tempo/espaço, e essa é absolutamente a pior coisa que poderia acontecer! Este medo da morte é provavelmente o meio mais eficaz de controle que os conspiradores têm. A verdade é; não há nenhuma morte - só o movimento de consciências entre infinitas realidades de tempo/espaço. Nós somos na realidade unidades imortais e individualizadas de consciência."
A Verdade o Libertará
A sua conferência, "A Verdade o Libertará", expõe os grupos de controladores ativos no mundo e o que as pessoas podem fazer para mudar o curso dos eventos mundiais. No seu seminário ele explica os métodos usados pelas forças controladoras para impedir o conhecimento de nossa verdadeira natureza espiritual e o poder fenomenal que nós temos para criar nossa própria realidade. É a supressão deste conhecimento que tem permitido o controle de muitos por poucos. Ele ensina técnicas de libertação da programação robótica e métodos de alcançar nosso verdadeiro potencial espiritual. Técnicas de cura da Terra usando meditação e rituais também serão apresentadas. Os participantes serão encorajados a se tornarem parte de um grupo mundial de indivíduos dedicados a curarem a si mesmos e a Mãe Terra.


*



AS 10 ESTRATÉGIAS DE MANIPULAÇÃO MIDIÁTICA


O lingüista estadunidense Noam Chomsky elaborou a lista das “10 estratégias de manipulação” através da mídia:


1- A ESTRATÉGIA DA DISTRAÇÃO.
O elemento primordial do controle social é a estratégia da distração que consiste em desviar a atenção do público dos problemas importantes e das mudanças decididas pelas elites políticas e econômicas, mediante a técnica do dilúvio ou inundações de contínuas distrações e de informações insignificantes.

A estratégia da distração é igualmente indispensável para impedir ao público de interessar-se pelos conhecimentos essenciais, na área da ciência, da economia, da psicologia, da neurobiologia e da cibernética. “Manter a atenção do público distraída, longe dos verdadeiros problemas sociais, cativada por temas sem importância real. Manter o público ocupado, ocupado, ocupado, sem nenhum tempo para pensar; de volta à granja como os outros animais (citação do texto 'Armas silenciosas para guerras tranqüilas')”.


2- CRIAR PROBLEMAS, DEPOIS OFERECER SOLUÇÕES.
Este método também é chamado “problema-reação-solução”. Cria-se um problema, uma “situação” prevista para causar certa reação no público, a fim de que este seja o mandante das medidas que se deseja fazer aceitar. Por exemplo: deixar que se desenvolva ou se intensifique a violência urbana, ou organizar atentados sangrentos, a fim de que o público seja o mandante de leis de segurança e políticas em prejuízo da liberdade. Ou também: criar uma crise econômica para fazer aceitar como um mal necessário o retrocesso dos direitos sociais e o desmantelamento dos serviços públicos.


3- A ESTRATÉGIA DA GRADAÇÃO.
Para fazer com que se aceite uma medida inaceitável, basta aplicá-la gradativamente, a conta-gotas, por anos consecutivos. É dessa maneira que condições socioeconômicas radicalmente novas (neoliberalismo) foram impostas durante as décadas de 1980 e 1990: Estado mínimo, privatizações, precariedade, flexibilidade, desemprego em massa, salários que já não asseguram ingressos decentes, tantas mudanças que haveriam provocado uma revolução se tivessem sido aplicadas de uma só vez.


4- A ESTRATÉGIA DO DEFERIDO.
Outra maneira de se fazer aceitar uma decisão impopular é a de apresentá-la como sendo “dolorosa e necessária”, obtendo a aceitação pública, no momento, para uma aplicação futura. É mais fácil aceitar um sacrifício futuro do que um sacrifício imediato. Primeiro, porque o esforço não é empregado imediatamente. Em seguida, porque o público, a massa, tem sempre a tendência a esperar ingenuamente que “tudo irá melhorar amanhã” e que o sacrifício exigido poderá ser evitado. Isto dá mais tempo ao público para acostumar-se com a idéia de mudança e de aceitá-la com resignação quando chegue o momento.


5- DIRIGIR-SE AO PÚBLICO COMO CRIANÇAS DE BAIXA IDADE.
A maioria da publicidade dirigida ao grande público utiliza discurso, argumentos, personagens e entonação particularmente infantis, muitas vezes próximos à debilidade, como se o espectador fosse um menino de baixa idade ou um deficiente mental. Quanto mais se intente buscar enganar ao espectador, mais se tende a adotar um tom infantilizante. Por quê?
“Se você se dirige a uma pessoa como se ela tivesse a idade de 12 anos ou menos, então, em razão da sugestionabilidade, ela tenderá, com certa probabilidade, a uma resposta ou reação também desprovida de um sentido crítico como a de uma pessoa de 12 anos ou menos de idade (ver “Armas silenciosas para guerras tranqüilas”)”.


6- UTILIZAR O ASPECTO EMOCIONAL MUITO MAIS DO QUE A REFLEXÃO.
Fazer uso do aspecto emocional é uma técnica clássica para causar um curto circuito na análise racional, e por fim ao sentido critico dos indivíduos. Além do mais, a utilização do registro emocional permite abrir a porta de acesso ao inconsciente para implantar ou enxertar idéias, desejos, medos e temores, compulsões, ou induzir comportamentos…




 7- MANTER O PÚBLICO NA IGNORÂNCIA E NA MEDIOCRIDADE.
Fazer com que o público seja incapaz de compreender as tecnologias e os métodos utilizados para seu controle e sua escravidão. “A qualidade da educação dada as classes sociais inferiores deve ser a mais pobre e medíocre possível, de forma que a distância da ignorância que paira entre as classes inferiores às classes sociais superiores seja e permaneça impossíveis para o alcance das classes inferiores (ver ‘Armas silenciosas para guerras tranqüilas’)”.


8- ESTIMULAR O PÚBLICO A SER COMPLACENTE NA MEDIOCRIDADE.
Promover ao público a achar que é moda o fato de ser estúpido, vulgar e inculto…


9- REFORÇAR A REVOLTA PELA AUTOCULPABILIDADE.
Fazer o indivíduo acreditar que é somente ele o culpado pela sua própria desgraça, por causa da insuficiência de sua inteligência, de suas capacidades, ou de seus esforços. Assim, ao invés de rebelar-se contra o sistema, o individuo se auto-desvalida e culpa-se, o que gera um estado depressivo do qual um dos seus efeitos é a inibição da sua ação. E, sem ação, não há revolução!


10- CONHECER MELHOR OS INDIVÍDUOS DO QUE ELES MESMOS SE CONHECEM.
No transcorrer dos últimos 50 anos, os avanços acelerados da ciência têm gerado crescente brecha entre os conhecimentos do público e aquelas possuídas e utilizadas pelas elites dominantes. Graças à biologia, à neurobiologia e à psicologia aplicada, o “sistema” tem desfrutado de um conhecimento avançado do ser humano, tanto de forma física como psicologicamente. O sistema tem conseguido conhecer melhor o indivíduo comum do que ele mesmo conhece a si mesmo. Isto significa que, na maioria dos casos, o sistema exerce um controle maior e um grande poder sobre os indivíduos do que os indivíduos a si mesmos.

______________________

CHOMSKY USADO PELO CLUBE BILDERBERG?

A seguir excerto do livro  A VERDADEIRA HISTÓRIA DO CLUBE BILDERBERG, de Daniel Estulin, em que Chomsky é mencionado.


Haig e o produto da Mesa Redonda, um grupo paralelo ao de Bilderberg. Em seu Tavistock Institute: Sinister and Deadly, o primeiro livro a falar sobre os sinistros planos do principal instituto de lavagem cerebral do mundo, John Coleman desvela os acordos secretos entre o governo invisivel, os politicos americanos e a Imprensa submetida. Coleman escreve: ≪Haig foi encontrado pelo membro da Mesa Redonda, Joseph Califano, um dos americanos em quem mais confia sua majestade (a rainha da Inglaterra). Califano, conselheiro legal da Convencao Nacional Democrata, tinha entrevistado na realidade ao Alfred Baldwin, um dos espioes do Watergate um mes antes de que o aplainamento dos escritorios democratas no hotel Watergate tivesse lugar. Califano foi suficientemente estupido para escrever um memorando sobre sua entrevista com o Baldwin, em que proporcionava informacao sobre McCord, outro dos espioes, e por que este tinha selecionado a Baldwin para entrar na "equipe".≫


≪Ainda mais daninho, o memorando do Califano continha todos os detalhes sobre as transcricoes das gravacoes entre o Nixon e o comite de reeleicao, tudo isso antes de que ocorresse o aplainamento.≫ Coleman conclui que ≪Califano deveria ter sido acusado por crimes federais mas, em vez disso, saiu ileso de toda a sua atividade criminosa≫.


Em 1983 chegaram ao Coleman uns manuais secretos do Instituto Tavistock nos quais se detalhava a metodologia usada para destruir ao presidente Richard Nixon. Dai saiu o livro The Tavistock Institute: Britain's Controle of US. Policy. Coleman explica que ≪a maneira em que o presidente Nixon foi primeiro
isolado, rodeado de traidores e depois, confundido, seguia ao pe da letra o metodo Tavistock de obter o controle de uma pessoa, desenvolvido pelo doutor Kurt Lewin, o principal teorico do Instituto≫. A queda do presidente Richard Nixon e um caso do manual da metodologia do Lewin. A descricao desse processo que Coleman encontrou nestes manuais secretos dizia: ≪Uma das principais tecnicas para romper
a moral, atraves de uma estrategia de terror, consiste em manter a pessoa confusa a respeito do que quer e do que pode esperar das circunstancias. Alem disso, se se aplicam medidas disciplinadoras severas e promessas de bom trato ao mesmo tempo, junto com noticias contraditorias, a estrutura cognitiva da situacao torna-se ainda mais confusa. O sujeito ja nao sabe que plano o leva para seu objetivo ou o afasta dele. Sob estas condicoes inclusive as pessoas com uns objetivos muito definidos e dispostas a correr riscos se paralisam pelos conflitos internos que sofrem a respeito do que se deve fazer.≫


Assim de bem-sucedidas que eram as taticas de terror e a lavagem cerebral do Tavistock e assim se pode eliminar a todo um presidente dos Estados Unidos. Alem disso, os americanos comecaram a acreditar em todas as mentiras, distorcoes e provas falsas dos conspiradores quando, de fato, ≪o Watergate foi uma mentira diabolica do principio ao fim≫.


Nixon e seus dois ajudantes mais proximos, Haldeman e Ehrlichman, ignoravam absolutamente o que estava acontecendo. Nao eram rivais a altura da forca combinada do Clube Bilderberg, do RIIA e do Instituto Tavistock, sob a direcao da Inteligencia britanica, do MI6 e, portanto, da familia real britanica (o MI6 e o
aparelho de Inteligencia que protege a Coroa britanica. Seu orcamento anual e secreto e se move em torno dos 350-500 milhoes de dolares. E significativo que o Parlamento britanico nao tenha jurisdicao sobre o MI6). Haldeman e Ehrlichman estavam completamente superados. Por exemplo, nem sequer sabiam que ≪David Young, graduado em Oxford e empregado do Kissinger atraves de organizacoes como o Milbank Tweed, estava trabalhando nos poroes da Casa Branca, fiscalizando "infiltracoes"≫.


A ≪confissao≫ do James McCord ao juiz John Sirica deveria ter advertido ao Nixon de que o estavam golpeando de dentro. Mas um confuso e paralisado Nixon respondeu perfeitamente ao plano esbocado pelo Instituto Tavistock para romper a moral de uma pessoa seguindo uma estrategia de terror.


O general Haig, ao que lhe deu um curso rapido no Tavistock, ≪jogou um papel fundamental na estrategia de confusao e lavagem cerebral do presidente Nixon, e, com efeito, foi Kissinger quem dirigiu a Casa Branca durante esse periodo≫. A ≪valente≫ reportagem do Washington Post nao foi mais que uma
completa mentira preparada pelas forcas da Nova Ordem Mundial. A legendaria fonte ≪Garganta Profunda≫ nao era senao o mesmo Haig.* A equipe de jornalistas, Woodward e Bernstein, ambos os membros do CFR, eles foram dando toda a informacao que publicavam. Nao houve nenhuma investigacao, nem nenhum encontro secreto. O Washington Post, um importante membro do comite diretor do Clube Bilderberg, o proprio Clube e o Comite dos 300, pressionaram ao Nixon seguindo a pes juntinhos o manual do Instituto Tavistock.


*[Em junho de 2005, o antigo funcionario do FBI Mark Felt, de 91 anos e mentor do jornalista Bob Woodward, revelou ser o verdadeiro ≪Garganta Profunda≫. Trata-se, entretanto, de uma montagem.]
Coleman escreve que ≪pela insistencia do RIIA, Haig se fez com o controle do governo dos Estados Unidos, a Casa Branca, depois do golpe de estado de abril de 1973≫. Haig colocou nos cem postos mais importantes de Washington a homens do Instituto Brookings, do Institute of Policy Studies e do CFR, quem, ≪como ele mesmo, estavam as ordens de um poder estrangeiro≫, quer dizer, as ordens daqueles que tinham imposto os interesses da ordem mundial global sobre os Estados Unidos da America.


≪A humilhacao do Nixon foi uma licao e uma advertencia para o futuro presidente dos Estados Unidos≫, para que lhe tirasse da cabeca que podia desafiar ao Governo Mundial na sombra. Kennedy foi brutalmente assassinado ≪pela mesma razao, a vista de todo o povo americano≫.
Todavia, John Coleman e Lyndon La Rouche (este ultimo candidato democrata a presidencia no passado e editor da excelente Executive Intelligence Review [EIR]) levaram a cabo sua propria investigacao sobre o Watergate e os Papeis do Pentagono e chegaram a mesma conclusao; o proposito da humilhacao ficou muito mais claro no episodio dos Papeis do Pentagono e a subsequente ≪designacao do Schlesinger (na comissao da energia atomica) dentro da Administracao Nixon, cujo objetivo era deter o desenvolvimento da energia atomica≫. O leitor ja havera deduzido que tudo isso eram fatores graves para a desindustrializacao dos Estados Unidos, tal e como planejavam o Clube Bilderberg, o Clube de Roma e o Comite dos 300. John Coleman acrescenta em Conspirators Hierarchy: The Story of the Committee of 300 que ≪neste ponto se acha o inicio gerador da recessao/depressao de 1991 que [...] desempregou trinta milhoes de americanos≫.


Segundo as fontes de Inteligencia do Coleman, na primavera de 1970, William McDennott, do FBI, foi ver o principal encarregado da seguranca do Rand (o instituto de lavagem cerebral dos Estados Unidos), Richard Best, para lhe advertir que Daniel Ellsberg havia aparentemente ≪tirado do Rand estudos sobre o
Vietna que esta instituicao tinha levado a cabo≫. Em posteriores encontros com o doutor Henry Rowan, diretor do Rand ─ e melhor amigo do Ellsberg, coisa que nao sabia o FBI ─, este disse ao Best e McDennott que estava em marcha uma investigacao do Departamento de Defesa e que ≪por isso recomendava que o FBI deixasse de investigar a Ellsberg≫. De fato, Coleman tinha descoberto que ≪nao
havia nenhuma investigacao em marcha. Ellsberg seguiu mantendo sua capacidade operativa no Rand e continuou copiando documentos sobre a guerra do Vietna ate que estourou todo o assunto dos Papeis do Pentagono, o qual golpeou duramente os alicerces da Administracao Nixon≫.


O segundo traidor era, como os leitores mais ardilosos haverao imaginado ja, o proprio conselheiro de Seguranca Nacional do Nixon, Henry Kissinger. Em meados da decada de 1970, o Clube havia colocado ao Kissinger na direcao de um pequeno grupo composto pelo James Schlesinger, Alexander Haig e Daniel
Ellsberg. ≪Cooperava com este grupo o Instituto de Estudos Politicos (IPS), com o Noam Chomsky como principal teorico.≫ Os objetivos do IPS vem ditados pela Mesa Redonda britanica e pelo Instituto Tavistock. Coleman explica em seu livro IPS Revisited que a principal agenda era ≪criar a Nova Esquerda, um movimento de base para engendrar conflitos e estender o caos, expandir os "ideais" do socialismo
niilista... e converter-se no grande "acoite" da ordem governamental e politica dos Estados Unidos≫, como fatores chaves na desindustrializacao desse pais atraves da estrategia de crescimento zero pos-industrial. Quando Kissinger foi colocado como conselheiro de Seguranca Nacional, ≪Ellsberg, Haig e Kissinger puseram em marcha o plano do RIIA do Watergate para derrocar ao presidente Nixon, pois tinha
desobedecido instrucoes diretas≫, o que quer dizer que Nixon tinha declarado publicamente que nao aprovava o GATT, ou Acordo Geral sobre Tarifas e Comercio, uma afirmacao que tinha enfurecido ao David Rockefeller. O GATT mostrar-se-ia mais tarde como uma autentica erosao da soberania nacional dos
Estados Unidos e achava-se em processo de criar uma destruicao total social, economica e cultural, tal e como o Senado dos Estados Unidos tinha advertido em 1994, atraves do milionario e membro do Parlamento Europeu, sir James Goldsmith (que morreu repentinamente ─ e nao sabemos se por casualidade ─ depois de atestar ante o Comite do Senado dos Estados Unidos).


De fato, por ordens do Andrew Schoeberg, presidente da RIIA, a sociedade secreta que controla a politica externa britanica, Kissinger e seu pessoal recebiam ≪toda a informacao de inteligencia do interior e exterior do pais antes que o proprio presidente; inclusive a informacao da Quinta Divisao do FBI, a mais secreta≫. Nao ha duvida de que os dois homens aos quais Nixon confiava sua vida, Haldeman e Ehrlichman, nao entendiam o que estava passando a seu redor: o MI6 (o Instituto de Inteligencia britanico), tinha o controle sobre toda a informacao que podia chegar ao presidente Nixon.


Coleman conclui que ≪com estes metodos, Kissinger se impos a presidencia do Nixon, e depois de que Nixon foi desonrado e defenestrado pelo grupo do Kissinger, este emergiu com poderes enormes, como nunca se viu antes, ou depois do Watergate≫.


Com a demissao do Nixon, o Clube Bilderberg conseguiu por fim ter a seu ≪presidente≫ no cargo, Gerald Ford (pertencente ao Bilderberg e ao CFR), a nova marionete da Nova Ordem Mundial movida pelo Henry Kissinger, agente do David Rockefeller, que por sua vez estava a servico do Clube e do Comite dos 300.
Pouco depois da queda do Nixon, o novo presidente Gerald Ford pos seu selo de aprovacao a politica externa do Kissinger. Gary Alien, em seu livro O expediente Rockefeller escreve: ≪O presidente Ford deu sua aprovacao a politica externa que havia projetado o secretario de estado Henry Kissinger. Seu objetivo
era estabelecer uma sorte de Governo mundial antes do final da decada de 1970. Mediante a demanda de uma estrategia global sobre os alimentos e o petroleo dentro da estrutura das Nacoes Unidas, o presidente assinou sua aceitaçao da "nova ordem internacional" que tinha estado perseguindo Kissinger.≫

*





Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por conspiratio às 08:21





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Agosto 2011

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

arquivos

2011





comentários recentes

  • mAYfwFkkj

    Lz9jK3 tdxhablltuns (http://tdxhablltuns.com/), [...

  • Anónimo

    Olá, Sim, é isso mesmo, é o que tento fazer. Mas n...

  • Anónimo

    Ola... Vi o seu blog em um link de outro blog, mas...

  • Anónimo

    Oi Regina, sim, espero que sim. Mas, de qualquer f...

  • Regina

    Bem ... quanto a nova era começar em 2012 é mais u...

  • Anónimo

    Bom, eu acho que se nossa visão materialista se am...

  • Cultura Útil

    e tem pra onde correr?

  • Cultura Útil

    fantastico o texto dos cegos. sou um deles.